Projeto Político Pedagógico

O Projeto Político Pedagógico (PPP), ou Projeto Pedagógico, é um documento que reúne os objetivos, metas e diretrizes de uma escola. Ele deve ser elaborado obrigatoriamente por toda instituição de ensino, segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

Um dos objetivos do PPP é promover a autonomia na gestão administrativa e pedagógica, por meio de ações que se adequam à realidade, identidade, diversidade cultural e religiosa de cada instituição escolar – além de considerar a especificidade de cada escola.

O PPP também fortalece a identidade escolar por registrar objetivos de maneira clara e definir como a escola e outros agentes dessa comunidade (professores, gestores, alunos, pais) podem trabalhar para alcançá-los. 

É importante que o PPP não seja visto como parte da burocracia escolar, mas sim como um instrumento usado por toda a comunidade para melhorar o ensino na instituição.

O Projeto Político Pedagógico é diferente e único em cada instituição, podendo haver flexibilização quanto ao conteúdo. Entretanto, ele deve seguir três pilares básicos.

1º pilar: Projeto

O documento precisa reunir diversos projetos que deverão ser executados em um tempo determinado. É uma forma de pensar no futuro, tendo o presente como ponto de partida.

É importante que o PPP tenha um plano de ação bem definido para guiar a escola e a comunidade escolar em cada projeto proposto no documento.

2º pilar: Político

A escola desenha um papel político na sociedade por ser um importante agente social. Nesse sentido, o ambiente educacional deve atuar como meio que auxilia o aluno a se desenvolver enquanto cidadão crítico, capaz de transformar a realidade em que está inserido, tanto individualmente como coletivamente.  

3º pilar: Pedagógico 

Não há dúvidas que o principal pilar de uma escola é a educação. Dessa forma, é essencial que o PPP tenha atividades e ações educacionais que contribuam para o processo de aprendizagem dos alunos.

Todo projeto que constar no PPP deve ter um plano de ação estabelecido. Ou seja, a escola precisa definir como pretende alcançar determinado objetivo e também qual será o prazo. Além disso, é necessário indicar quais agentes vão fazer parte das ações (professores, gestores escolares, pais, alunos…). 

O plano de ação pode envolver diversas atividades, como palestras, eventos, atividades extracurriculares, projetos comunitários e até mesmo a compra de equipamentos para a ampliação de espaços estudantis. 

Cabe à escola definir quais ações melhor se encaixam em cada objetivo, desde que sejam coerentes e estejam dentro da realidade da rotina e estrutura da escola e da comunidade escolar.

É fundamental que o documento siga orientações, diretrizes, currículos, normas e demais dispositivos legais dos órgãos educacionais de todas as esferas (federal, estadual e municipal). Nesse sentido, adequar o PPP à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) será importante para alcançar um ótimo desenho de aprendizagem.

Após a elaboração e implementação do plano de ação, é importante que a escola analise o andamento das atividades. Não fazer esse processo pode ser um erro, pois impede que a instituição de ensino avalie quais ações estão dando certo e o que pode ser feito para melhorar o desempenho escolar a curto, médio e longo prazo.

Com toda certeza, a EDTO pode auxiliar você no que você está precisando. Não perca mais tempo, chama a gente no WhatsApp!